|
|

|

|

|

 

-
-
-

-

-

 

em construção

auto afonso

OFICINA DE MECÂNICA GERAL, INSTALAÇÃO DE KITS A GÁS PARA AUTOMÓVEIS E VENDA DE GÁS DOMESTICO E COMERCIAL

 

 

 

 

informação

 

Instalamos os sistemas de gás em:
veículos de carburador - monoinjector e multiponto;
motores tradicionais e catalizados;
viaturas de 3 a 16 cilindros e até 720 cavalos, com sistemas da1ª, 2ª, 3ª ou 4ª
  geração (injecção sequencial de gás).
   
Garantias:
todos os sistemas de gás instalados ou vendidos pela AUTO AFONSO,estão
  cobertos por uma garantia de 2 anos contra defeitos de fabrico (ver Certificados de Garantia).
   
Horário de funcionamento da nossa oficina:
SEGUNDA A SEXTA
  08.00 às 12.30 e das 13.30 às 19.00h;
SABADO
  08.00 às 13.00
Horário de funcionamento do nosso Posto de GPL:
SEGUNDA A SEXTA
  08.00 às 12.30 e das 13.30 às 19.00h;
SABADO
  08.00 às 13.00
   

Topo

 

 

história do gpl

 

 


Desde os anos 70 que o GPL tem vindo a desenvolver-se como alternativa aos tradicionais combustíveis rodoviários. Existem hoje no mercado quase 5 milhões de veículos com GPL Auto e mais de 20 mil pontos de venda. Por essa razão é actualmente o mais importante dos combustíveis alternativos e, em Portugal seguramente o mais barato. É um combustível (mais limpo/menos sujo), mais económico e mais rentável,GPL Auto é uma boa aposta para reduzir a poluição atmosférica. Devido a uma mistura de ar e combustível perfeitamente homogénea, a combustão efectuada pelo motor é mais completa e uniforme; O seu poder calorífico também é mais elevado; O GPL Auto facilita também o funcionamento do motor e proporciona um trabalhar mais suave e silencioso; No GPL Auto, o índice de octano é mais alto(100), o que evita a ocorrência de detonação, melhorando o rendimento e prolongando a vida do motor; Por não originar depósitos na câmara de combustão, nas válvulas e nas velas, o GPL Auto contribui para a preservação do motor; Por fim, uma viatura alimentada a GPL Auto dispõe de um sistema misto de carburação (GPL Auto e outro combustível). Verifica-se que a utilização deste combustível reduz os custos directos na nossa carteira em 0%, assim facilmente se conclui que o GPL Auto é o carburante que deve estar na moda.

Topo

 

 

 

lesgislação

 

 

 

As Leis de utilização do GPL em Portugal.
A utilização do GPL (gases de petróleo liquefeito) como carburante de veículos automóveis foi prevista e admitida pelo DL n.º 195/91 de 25 de Maio. Nesse diploma previu-se que, para garantir um nível de segurança adequado, o conjunto dos componentes necessários à utilização do GPL enquanto combustível - o designado kit de conversão - teria de ser previamente aprovado de acordo com as características técnicas e de segurança constantes de posterior regulamento (sendo actualmente aquele regulamento o constante da portaria 350/96 de 9 de Agosto). A homologação dos kit de conversão tem como objectivo assegurar que as condições de fiabilidade e de segurança dos automóveis adaptados ao consumo do GPL sejam, no mínimo, idênticas às dos veículos alimentados a gasolina ou a gasóleo. Para os veículos ligeiros de passageiros, as obrigações legais decorrentes da aplicação do kit de conversão (normalmente todas elas são garantidas pelas oficinas onde se fazem as adaptações) são iguais. Aplicação de um depósito para GPL que, em caso algum, poderá ultrapassar os 100 litros de capacidade. Devem ainda os automóveis transformados ser dotados de uma válvula de dupla entrada, uma válvula de seccionamento, um indicador de nível de combustível existente no depósito à distância, um limitador de enchimento a 85% e ainda um limitador de caudal máximo. Devem ainda os automóveis utilizadores de GPL dispor de um comutador de carburantes no painel de comando junto ao condutor. Impôs ainda o legislador, com vista à segurança, que ainda que o depósito do GPL possa ser instalado dentro do porta malas, quando assim seja, ele deve ficar perfeitamente isolado do habitáculo e do próprio porta malas, por forma a garantir que em circulação não haja embate de objectos com o depósito do GPL. Quanto ao depósito, obriga ainda a lei, que este seja colocado em posição que garanta, em caso de acidente, a impossibilidade de choque directo com aquele, proibindo-se ainda que o depósito seja instalado junto da zona do motor. Depois de transformado, a circulação do automóvel fica condicionada à aprovação numa inspecção extraordinária requerida pelo proprietário à DGV.

Os documentos necessários para proceder à alteração, são os seguintes: impresso, mod. 1402 a entregar no Serviço Regional da DGV, da sua área de residência; livrete; certificado de instalação do sistema de alimentação de GPL emitido por entidade creditada para o efeito, nos termos no Anexo III da Portaria n.º 982/91, de 26 de Setembro; fotocópia do título de registo de propriedade e fotocópia do BI. A substituição do livrete tem custos.

Em relação à circulação do automóvel "convertido" é de realçar sobretudo a obrigatoriedade de identificar o automóvel, com o conhecido autocolante azul com a letras GPL, de acordo com o regulamentado no art. 17.º da Portaria 350/96, a pôr na retaguarda de modo a poderem ser facilmente reconhecidos (a não identificação nestes termos, quando verificada, implica a aplicação de uma coima. Fundamental é também saber que os automóveis movidos a GPL apenas podem ser estacionados ao ar livre, independentemente da existência ou não de advertência à entrada de parques de estacionamento fechados. O estacionamento deste tipo de veículos em recintos fechados implica a aplicação de uma coima perto dos 1000€.

A Associação Nacional de Instaladores e Consumidores GPL (ANIC GPL), fundada em 2004, tem vindo a travar uma enorme batalha no que diz respeito, a revogação dos Decretos-Lei de 1991, nomeadamente, as que obrigam o uso do autoclante GPL e a proibição da circulação dos automóveis GPL nos parques subterrâneos. Medidas essas, que são únicas em Portugal. No Reino Unido, por exemplo, os automóveis a GPL têm descontos no acesso aos parques subterrâneos, pois os incentivos devem ser cada vez maiores de modo a que as oscilações dos preços do petróleo não influenciem tanto a economia.

Topo


 

 

 

duvidas frequentes

 

 

 

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Em que viaturas se pode instalar o GPL?
· Podem-se transformar todos os veículos alimentados a gasolina, sejam eles de carburador, injecção ou turbos e sem limite de cilindrada. É importante que a viatura se encontre em boas condições de funcionamento a gasolina.

O que fazer para instalar um kit de Autogas?

· Só deverá instalar um kit de Autogas numa empresa legalmente certificada para o fazer. Os reservatórios de GPL poderão ser colocados na bagageira ou no local reservado à roda sobresselente. Ao manter o depósito de gasolina garantirá a sua autonomia para onde quer que vá. Poderá consultar no site da DGE a lista oficial de entidades credenciadas para instalação de kits para GPL.

Quais as vantagens de uma instalação a GPL?

· As vantagens mais significativas em relação à gasolina são:
Custo inferior do autogas, cerca de metade do preço.
Menor índice de poluição dada a ausência do benzeno e do chumbo.

Os carros a GPL são seguros?
· Todos os equipamentos de gás, são rigorosamente controlados e certificados por laboratórios competentes. Estes equipamentos possuem várias válvulas de segurança que aliados a um sistema de controlo de gestão electrónica proporciona aos veículos uma segurança absoluta.

Quais os custos de uma instalação de GPL?

· Existem vários preços, dependendo do tipo de viatura. Para se poder orçamentar com rigor é necessário conhecer as características da viatura, tais como:
Carburador; Turbo; Tipo de injecção; Catalisado; N.º de cilindros; Tipo de reservatório a instalar.
Considerando o aparecimento de novos equipamentos de injecção directa, poder-se-á adiantar custos entre os € 750,00 e € 2.100,00.

Qual a possibilidade de trocar o equipamento para outra viatura?
· Se o equipamento for de gestão electrónica, como a injecção sequencial, não há qualquer problema, desde que seja do mesmo nº de cilindros.

Como funciona o Autogas?
· De momento, os kits de Autogás são maioritariamente instalados em veículos a gasolina devido à facilidade da conversão que é necessária fazer. Os kits mais modernos fazem uma gestão do combustível que funciona em sintonia com a gestão electrónica dos motores garantindo assim um funcionamento em tudo idêntico ao verificado com gasolina. Um microprocessador regula constantemente o fluxo de combustível para os cilindros do motor, ao mesmo tempo que a sonda lambda (que mede a concentração das emissões dos gases de escape) assegura uma combustão optimizada e limpa.

Autogas ou Gasolina?
· O Autogás atinge o motor sob a forma de gás e não na fase líquida. Mistura-se melhor com o ar resultando numa melhor combustão. Com uma boa instalação a emissão de CO (monóxido de carbono) é também substancialmente reduzida. Os gases de escape contêm muito menos substâncias causadoras de danos ao ambiente do que os resultantes da combustão da gasolina. Com o Autogas existe uma total ausência de depósitos de carbono e ácidos o que prolonga a vida do motor.

Se converter o meu veículo para Autogas, ainda poderei consumir outro combustível?
· Sim, poderá continuar a consumir gasolina, porque o seu veículo ficará transformado num veículo bi-fuel. O tanque de gasolina continua o mesmo e o condutor pode trocar em qualquer altura o tipo de combustível accionando simplesmente um botão instalado no tablier.

E em relação ao Diesel? Quanto mais limpo é o Autogas?

· Substituindo um veículo a gasóleo por um a Autogas equivalente obterá uma redução de cerca de 90% nas emissões de partículas nocivas ao ambiente.

Quanto mais limpo é o Autogas em relação à gasolina?
· Segundo estudos recentes o CO2 será um dos principais contribuintes para o efeito de estufa, que está a tornar o nosso planeta mais quente. O Autogas reduz em cerca de 20 % as emissões de CO2 em relação à gasolina, emitindo 97 % menos benzeno que a gasolina sem chumbo.

E se um veículo a Autogas se vir envolvido num acidente?

· Todos os reservatórios homologados para GPL são comprovadamente mais resistentes que os reservatórios convencionais de gasolina e gasóleo. Para além disto, a instalação está munida de dispositivos de segurança que reduzem substancialmente o risco de incidentes envolvendo a utilização de Autogas. Deve assegurar-se, no entanto, que a sua instalação é executada por um instalador acreditado por forma a reduzir o risco de existência de algum problema.

Quanto posso percorrer com 50 Euros de combustível?

· Na tabela abaixo poderá fazer uma comparação quanto às distâncias que lhe permitem percorrer 50 EUR gastos em combustível.
Autogás - cerca de 1 300 Km
Gasóleo - cerca de 1 100 Km
Gasolina - cerca de 730 Km

O que tenho a ganhar com a mudança?
· Cada vez mais carros serão equipados de origem com dois depósitos, um para gasolina e outro para GPL. Os automobilistas poderão passar de um carburante a outro, carregando num simples botão de tablier. Estes carros bi-fuel (autogás / gasolina) custarão à volta de 1 000 a 1 750 EUROS mais caro que os tradicionais carros a gasolina, o que representa actualmente o custo da conversão de um carro a gasolina para Autogás. De qualquer forma, a poupança virá à medida que for percorrendo quilómetros com o seu automóvel, para além disso estará a participar na preservação do ambiente.

O GPL aumenta o consumo do meu carro?

· Depende do kit instalado, a variação prevista será de um aumento de 5% a 10%.
Contudo, estes valores podem ser sempre reduzidos mediante afinações do sistema de GPL, nos kit de Injecção GPL o aumento do consumo é quase nulo. Mesmo assim a percentagem de poupança a GPL é sempre igual ou superior a 50 % tendo em conta o preço por Km a GPL e o preço a gasolina.

O autocolante é mesmo necessário?
· Segundo a Legislação em vigor, o autocolante de GPL é Obrigatório, sendo a sua falta punida com coima pelas autoridades.

Sendo eu proprietário de um parqueamento poderei estacionar lá o veículo?
· Se o parqueamento for fechado ou subterrâneo, a legislação em vigor permite aos seus proprietários proibirem o estacionamento de viaturas a GPL e chamarem as autoridades competentes para assinar a multa.
Contudo, se for uma vivenda ou propriedade privada, nada o impede de lá estacionar, a única referência na legislação é a parqueamentos colectivos públicos ou em situações, por exemplo, de prédios em que as garagens são individuais mas o seu acesso é comum, nestas situações os vizinhos podem impedir o estacionamento.

Num parqueamento colectivo (tipo centro comercial) num piso superior ao R/C, com arejamento, pode ser proibido o estacionamento a veículos GPL?

· Segundo a legislação, pode ser proibido, contudo cabe aos proprietários do parque estabelecerem a situação.
Por exemplo, no parque de estacionamento do Centro Comercial Via Catarina no Porto, todos os pisos são bem arejados (nos pisos superiores de um edifício sem qualquer tipo de parede sólida nas extremidades) e o acesso ao parque é efectuado por uma rampa a céu aberto.
O facto de existir esta legislação recai sobre a ventilação existente nos parques e não sobre algum tipo de perigo do GPL. Mais de 90 % dos parques existentes utilizam ventiladores junto ao tecto dos pisos, o GPL sendo um gás pesado tem tendência de se acumular no chão.
Em certos países, como a Holanda, Alemanha, etc., a legislação de construção de parques de estacionamento obriga à instalação de ventiladores no topo e no chão dos pisos dos parques, a legislação portuguesa não.

Existe algum site ou alguém que me possa fornecer uma lista de veículos de possível adaptação para GPL?
· Teoricamente, todos os veículos com motor a gasolina ou Diesel podem ser convertidos a GPL, inclusive barcos, motas, empilhadores, geradores eléctricos, etc.
Não existe nenhuma lista de automóveis visto que depende das marcas que fabricam os kits.

Quando abasteço o meu carro ele nunca enche totalmente o depósito. Porquê?
· Porque existe um sistema que limita o seu enchimento a mais de 80 %. A limitação de 80 % deve-se ao facto de o GPL estar em fase líquida no depósito.
Experimente encher com água 2 panelas de pressão, uma com cerca de 20% a menos e ponha ao lume. A panela cheia atinge o nível de pressão de descarga mais rapidamente que a de 80 %.
A mesma teoria se aplica ao GPL e à gasolina. Por essa razão não é prudente deixar um veículo ao sol no pico do verão, com um depósito de gasolina/GPL "cheio até à borda". Qualquer gás quando aquecido expande-se: 80 % GPL Líquido, 20 % GPL Gasoso.

Os gases expelidos pela bomba de GPL durante o abastecimento do automóvel são nocivos para a saúde?
· Esses restos é gás em estado Líquido passando para gasoso com a mistura de oxigénio e com o aquecimento da temperatura. Contudo, a sua nocividade é idêntica aos vapores libertados pela gasolina e Diesel.
É de notar também que, o GPL dissipa-se muito rapidamente, ficando apenas o cheiro característico que não é nem mais nem menos que um aditivo.

A manutenção de um carro com GPL é a mesma ou exige peças diferentes, como por exemplo, velas?
· A manutenção de um carro a GPL é a mesma. A diferença é que o GPL não deixa resíduos logo não deteriora tão rapidamente o óleo como a gasolina. Desta forma, as mudanças de óleo e velas poderão ser mais longas.

Estou a pensar em adquirir um 4X4, qual o tipo de kit ideal para este tipo de veículos?

· O kit ideal será o mais recente e o mais avançado. Os kit de Injecção de GPL são específicos para cada modelo e para cada marca. Poderemos recomendar este kit devido à garantia que ele dá na sua prestação, mantendo instantaneamente constante a mistura ar / combustível correcta, e evitando falhas nas alturas em que precisará mais do motor do 4X4.

Será que se colocar GPL no meu Fiesta de 88 o carro não vai perder muita potência?

· Existe um inconveniente em equipar viaturas antigas para GPL. O funcionamento a gasolina provoca desgastes e folgas nos segmentos, Válvulas e afins, essas fissuras são reparadas com o carvão que a combustão da gasolina provoca. Uma vez a GPL, e devido às suas propriedades de limpeza, esse carvão é removido aos poucos com o funcionamento da viatura, deixando essas figas e fissuras desobstruídas, provocando um aumento de consumo.
Se o motor do Fiesta de 88 estiver em boas condições, não vai Ter qualquer problema na sua conversão para GPL.

Depois de montar o GPL posso esquecer a gasolina?

· Nas viaturas de Carburador pode mas não convém. Nas viaturas de Injecção não porque:
O funcionamento da injecção de gasolina é essencial para uma manutenção do circuito alimentação de gasolina, evitando que se entupam os tubos e injectores.
O motor apesar de funcionar a GPL, é conveniente que faça alguns Km a gasolina para lubrificar algumas partes do motor.
Não existe nenhuma tabela de quantos Km tem de se fazer a gasolina, mas nas viaturas de Carburador é conveniente que se façam entre 10 a 20 Km / mês a gasolina visto estas viaturas funcionarem sem recurso ao arranque a gasolina.
Nas restantes essa margem pode ser significativamente menor pois o motor é posto em marcha a gasolina e faz a comutação automática para GPL após alguns segundos.

Tenho uma frota de automóveis, compensa transformar as viaturas para GPL?

· Claro que compensa, visto ter a possibilidade de instalar um posto de abastecimento facilmente para a sua empresa.

Onde moro não existem postos de abastecimento perto. Posso abastecer lá em casa?

· Existem no mercado pequenas bombas eléctricas e manuais para transfega de Gás entre garrafas e os reservatórios de GPL das viaturas.
O GPL é também vendido em Garrafas de 11 Kg e 45 Kg, podendo servir para abastecer o consumo do fogão, esquentador e o automóvel no fim de semana.

Ouvi dizer que o GPL danifica os motores, é verdade?

· O GPL não tem qualquer tipo de componente que possa danificar os motores, o facto das suas propriedades de limpeza é que poderão causar embaraços removendo o carvão e desobstruindo as fissuras que poderão provocar um mau rendimento do motor.
Não é por acaso que as principais marcas de automóveis já comercializam viaturas a GPL montadas de fábrica
.

Topo


 

 

soluções inteligentes